top of page
  • Pieter B.J. Ijzerman

A Toyota está a ser expulsa do maior mercado automóvel do mundo.

A Toyota está a ser expulsa no maior mercado automóvel do mundo à medida que a mudança para veículos elétricos cresce rapidamente.


Houve se muito zmmm zmmm sobre o mercado dos Veículos Elétricos a abrandar, que não há procura. Pois, são as marcas tradicionais que que tentam “informar” os governos e acionistas que investir em VE’s não é boa ideia. Entretanto no maior mercado automóvel o maior fabricante automóvel do mundo, a Toyota, está a perder vendas porque…. Não vende veículos elétricos (bom, vende alguns).


A Toyota está a perder à medida que o maior mercado automóvel do mundo acelera a sua mudança para veículos elétricos. O fabricante japonês informou aos concessionários que vai cortar a produção na China com uma de suas joint ventures.


Toyota bz3, uns dos poucos modelos elétricos puros da Toyota.
Toyota bz3.

À medida que a China lidera a transição da indústria automóvel para os carros elétricos, vários fabricantes de automóveis (a combustão interna) deixam de vender os seus carros. A Toyota do Japão é a última vítima. A Toyota está estendendo por mais três meses o corte de produção, inicialmente planeado para outubro e novembro. A joint venture da Toyota com o Grupo FAW disse em uma carta vista pela Reuters: “A produção de dezembro a fevereiro do próximo ano continuará a ser reduzida em grande parte”. A carta acrescenta que as vendas às concessionárias Toyota serão reduzidas para 66 mil em dezembro, 60 mil em janeiro e 38 mil em fevereiro.


A mudança ocorre no momento em que a empresa procura acompanhar o “mercado complicado” na China. Líderes de mercado como BYD e Tesla reduziram os preços durante todo o ano, dificultando a concorrência de outras marcas tradicionais. A Toyota recua enquanto EVs assumem o controle na China. Com veículos elétricos de baixo preço como o BYD Dolphin, a partir de cerca de US$ 17.500 na China, a Toyota e outros estão a ser expulsos do mercado.


A Toyota já anunciou demissões na região com outra joint venture com a GAC da China. A fábrica da JV empregava cerca de 19.000 pessoas, construindo modelos incluindo o bZ4X. Depois de lançar o bZ4X na China em outubro passado, a empresa baixou os preços em 15% em fevereiro, uma vez que o SUV elétrico não conseguiu ganhar força.

A parceria da Toyota com a FAW lançou o seu primeiro sedan elétrico, o bZ3, na China no início deste ano, na esperança de estimular a procura. No entanto, um recall durante o verão atrapalhou seu sucesso. A marca revelou planos em julho para que engenheiros de suas três joint ventures na China, BYD, FAW e GAC, trabalhem juntos em um “projeto de desenvolvimento liderado pela Toyota” enquanto está a procura de se renovar.


Embora a Toyota ainda ocupe o terceiro lugar, depois da BYD e da Volkswagen, em vendas de automóveis na China, está a perder quota de mercado. De acordo com dados da Associação Chinesa de Fabricantes de Automóveis, a Toyota vendeu 1,26 milhão de carros a concessionárias até setembro, uma queda de 9% em relação ao ano passado. Enquanto isso, as vendas da BYD aumentaram 60% durante o mesmo período.


A Mitsubishi suspendeu os seus negócios na China depois que as vendas caíram de mais de 134.500 em 2019 para apenas 34.500 no ano passado. As vendas da Nissan despencaram 20% no ano passado, deixando-a fora das cinco principais montadoras em participação de mercado.


Comments


bottom of page